George Israel

Release :: Projeto Sollar

Um novo projeto de música eletrônica comandado por dois dos maiores nomes da música brasileira: Memê e George Israel. Sollar mistura, mixa e mescla os beats da house music de Memê com o sax de George Israel.

Sollar surgiu de encontros informais entre os dois artistas, que viram que a sintonia musical e pessoal poderia render um projeto ousado e inédito no Brasil. As gigs despretensiosas foram retornando convites para repetir a dose, até o momento em que Memê e George decidiram formalizar um duo. Sollar é música para cima, para dançar. A combinação do sax com a house music cria um som irreverente, sofisticado, melódico e enérgico, totalmente criado ao vivo. A interação e o carisma de George Israel e Memê criam uma atmosfera na pista que ultrapassa um simples set, transformando Sollar em uma experiência musical única.

Release :: George Israel - Biografia:

Nascido em 1960, no Rio de Janeiro, despertou para a música vendo o filme “Help!” dos Beatles quando comprou seu primeiro LP, com 6 anos de idade. Depois começou a colecionar compactos, músicas de festinhas e trilhas de novela. Começou a tocar violão com 13 anos.

A primeira vez que subiu no palco foi no Festival do Colégio Rio de Janeiro tocando uma composição própria.

A partir daí sempre assistindo muitos shows e conhecendo pessoas que gostavam de música, acabou formando e fazendo parte de algumas bandas.

Nos anos 80, formou a banda o “Fim da Rua” junto com Frejat. Além disso tocava em algumas outras bandas, entre elas, a que seria batizada ao vivo na Radio Fluminense com o nome de “Kid Abelha e os Aboboras Selvagens”.

Fizeram seu primeiro show no lendário Circo Voador em novembro de 1982, data que marcou o nascimento do “Kid Abelha”.

Do “pau-de-sebo” Rock Voador, foram contratados pela Warner onde ficaram até 2000. Nesse período lançaram 11 discos que renderam a banda 6 discos de ouro, 2 discos de platina e 2 discos duplo platina. Cinco destes discos tiveram a assinatura de George como produtor.

Paralelo ao Kid Abelha, George também estava presente em outros trabalhos. Como compositor, fez com Cazuza e Frejat, “Amor Amor” para o filme Bete Balanço. Essa aproximação abriu caminho para mais de 10 parcerias com Cazuza, entre elas o hino “Brasil”, que ganhou em 1988 dois prêmios de melhor música do ano.

A partir de 1986 passa também a figurar como principal compositor, junto com Paula Toller. A parceria rendeu mais de 50 canções, entre elas: “ Amanhã é 23”, “Grand’ Hotel”, “ Eu tive um sonho”, “Te amo prá sempre”, “Nada sei”, “No meio da rua” e outras.

Como músico, foi o primeiro saxofonista dos “Paralamas do Sucesso” tocando em Montreux na gravação do disco “D” e fazendo alguns shows com eles. George virou referência de som de sax nos anos 80, e gravou com várias bandas. Alguns exemplos são: com a Plebe Rude, gravou o disco “Concreto já Rachou”; com Léo Jaime, gravou a canção “Fórmula do amor”, com o Biquíni Cavadão, gravou “Janaina”.

Junto com o Barão Vermelho, George criou a “Midnight Blues”, primeira banda de “curtição”, que foi dos bares ao Circo Voador lotado e abriu o show do Simply Red na praça da Apoteose.

Como produtor, além de cinco CDs do Kid Abelha, idealizou um tributo aos Mutantes “Triângulo sem bermudas” gravado por Gilberto Gil, Tom Zé, Toni Garrido, Planet Hemp e Ney Matogrosso.

Em 2000 o Kid Abelha toca pela segunda vez no Rock in Rio, e mostra o patrimônio de canções adquirido em 18 anos de estrada, com o publico cantando todas as músicas.

Já na gravadora Universal lançam 3 discos, entre eles o MTV Acústico, que vendeu 1.250.000 cds e consagrou a banda.

Em 2004 George lança seu primeiro cd solo “4 letras”. Título tirado de uma música inédita com Cazuza. Entre as participações no cd, estão: Paralamas do Sucesso, Lulu Santos, Frejat e Os Britos.

Após a parada sabática do Kid Abelha, já com 15 cds lançados, em 2007 George lança seu segundo cd solo, dessa vez pela Som Livre, trazendo novos parceiros, como Marcelo Camelo, a retomada de parceria com Leoni e a confirmação de George também como letrista inspirado. Mostra também neste cd, um pouco da diversidade e experiência de palco que trouxe entre shows dos Britos e de seus shows solo, como por exemplo, a versão blues de “As rosas não falam” de Cartola.

Em 2010, George lança seu terceiro cd solo, reunindo suas parcerias com Cazuza, com convidados especiais e novas leituras para grandes sucessos!

«12 »
Desenvolvido por Foco