George Israel

13 Parcerias com Cazuza

36

1. Você Vai Me Enganar Sempre II
2. Brasil
3. De Quem é o Poder
4. Completamente Blue
5. Solidão que Nada
6. Blues do Ano 2000
7. 4 Letras
8. Inocência do Prazer
9. Amor, Amor
10. Burguesia
11. Eu Agradeço
12. Mina
13. Nabucodonosor

George Israel lança seu terceiro cd solo "13 parcerias com Cazuza". Neste CD, George reafirma facetas menos conhecidas do grande público, principalmente a de compositor, pois além da coleção de hits compostos para o Kid Abelha, desvenda agora uma obra importante com Cazuza.

Dessa obra, algumas como "Brasil" e "Solidão que nada" já faziam parte do show solo que George vem fazendo intensamente desde 2007, quando começaram as “férias sabáticas” do Kid Abelha.

No final do ano passado, convidado para participar de um evento em homenagem a Cazuza, seu amigo e parceiro constante durante anos, George, remexendo e contabilizando o material que produziram juntos, teve duas belas surpresas: se deu conta que tinha mais de 17 parcerias com o poeta além de descobrir também uma inédita com voz de Cazuza.

Resolveu reaprender as músicas, atitude que vinha sendo também cobrada pelos filhos Fred e Leo, fãs do poeta. Nesse processo, se apaixonou pela idéia de tomar posse das canções e reuni-las num CD, já que estavam espalhadas em discos de Cazuza e de outros artistas.

Outro que se encantou com a qualidade do material foi Dadi, que acabou sendo o produtor do CD. Num espírito de caos criativo, não ouviram as versões originais, e deram tratamento de músicas inéditas. A sonoridade instigante e surpreendente atualiza e dá unidade à "13 parcerias com Cazuza", que sai do forno pelo selo MP'B com distribuição da Universal Music., e traz releituras de hits e “lados B” do grande poeta dos anos 80.

Veio a calhar. No ano de 2010 completam-se 20 anos sem Cazuza, poeta e personalidade das mais controversas e fascinantes da história da música brasileira. Também famoso pelo seu espírito agregador, reunia pessoas dos mais diferentes tipos. Amizades e parcerias musicais aconteceram ao seu redor, e com George Israel, apresentado a Cazuza por seu amigo de infância, Roberto Frejat, não foi diferente. Este disco capta esse espírito, celebrando encontros de velhos e novos amigos. Ney Matogrosso, Elza Soares, Frejat, D2, Sandra de Sá, Paulo Ricardo, Evandro Mesquita, Jaksom, Tico Santa Cruz, a nova geração Rafael Frejat, Fred e Leo Israel e, representando os amantes da música, o inusitado Marcello Novaes na gaita.

Em grande estilo, o disco abre com a inédita “Você Vai Me Enganar Sempre 2”, composta também com Nilo Romero, e que traz um emocionante dueto virtual de George com o próprio Cazuza, cuja voz foi recuperada a partir de uma fita k7 gravada em quatro canais.

A faixa ainda conta com a participação especial de Family Man (baixista de Bob Marley em todos os seus discos e até hoje integrante do The Wailers) e de Charlie Lalibe (baterista do grupo Alphablondy).

A segunda faixa é o hino "Brasil", eternizada pela versão de Gal Costa na abertura da novela Vale Tudo, da TV Globo, e por isso mesmo tida como o maior desafio do disco. Para dar o peso que a música merece George convidou Elza Soares (de quem Cazuza era amigo e fã incondicional) e Marcelo D2. Participações especiais emblemáticas numa música que denuncia e mostra qual é a cara da ética brasileira.

O disco segue com “De Quem é o Poder?” e “Completamente Blue” que, para George, representam o motivo pelo qual ele decidiu fazer o disco. “São músicas fortes e pouco conhecidas, que dão vontade de mostrar para o público”, revela o artista. Sandra de Sá contribui para o novo trabalho do amigo soltando a voz em “Solidão Que Nada”, que precede “Blues do Ano 2000”, gravada com a participação de Frejat e dos filhos Rafael Frejat, Fred e Leo Israel, com quem tradicionalmente “levam um som” nos carnavais em que ambas as famílias passam em Teresópolis.

Primeiro artista a ser convidado para fazer uma participação no disco, Ney Matogrosso dá sua preciosa colaboração em “4 Letras”, música que George perdeu, refez, gravou em seu primeiro disco solo e agora volta recuperada pelo próprio Ney em sua versão original.

“13 Parcerias com Cazuza” continua com “Inocência do Prazer”, presente de Cazuza para Dulce Quental; “Amor, Amor”, primeira parceria de Israel com Cazuza (ao lado dejat), presente no lado B do compacto de Bete Balanço e inédita em CD; “Burguesia”, produzida por Jacksom, Dadi e George, com participação de Tico Santa Cruz; e “Eu Agradeço”, que George redescobriu vasculhando seu baú de fitas.

A penúltima música, “Mina”, que George toca desde sempre em seus shows, está em seu último disco solo e foi regravada no dia 04 de abril, data do aniversário do poeta, com a participação do amigo Paulo Ricardo. O CD, que também vai virar show, fazendo uma celebração atualizada do som e da poesia de Cazuza, se encerra em clima de alegria com “Nabucodonosor”, faixa que conta com as participações de Evandro Mesquita e Marcelo Novaes.

Desenvolvido por Foco